Agora1

Prefeitura registra 72 casos de violência contra idosos nos cinco primeiros meses de 2020

15 de junho de 2020 - 20:34
Arquivo

Durante todo o ano de 2019, 299 casos foram confirmados, das 574 denúncias realizadas

O dia 15 de junho foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa como o Dia Mundial da Conscientização à Violência contra a Pessoa Idosa. O objetivo da instituição da data é promover a reflexão sobre o índice de idosos que são acometidos por alguma violência no dia a dia. De acordo com os dados do Departamento de Proteção Especial da Secretaria Municipal de Políticas Públicas Sociais (SMPPS) de Ponta Grossa, até o fim de maio, 163 denúncias de violência contra essa população foram realizadas em 2020. Desse total, 72 foram confirmadas. Em 2019, foram registradas 574 denúncias de violação de direitos da pessoa idosa. 299 precisaram ser monitoradas pelas equipes dos serviços sociais.

“Os idosos pertencem a um grupo que precisa ser assistido socialmente para evitar que passem necessidades ou que sofram algum tipo de violência. É necessário possibilitar que a população reflita sobre o que se pode configurar como uma violação dos direitos da pessoa idosa e se atente com algumas atitudes. Precisamos cuidar dos nossos velhinhos, que se encontram muitas vezes em situação de vulnerabilidade social ou em saúde, especialmente neste período de pandemia, onde muitos precisam ficar isolados em suas casas e podem ficar mais suscetíveis a serem violentados por alguém da família”, destaca a secretária da SMPPS e presidente da Fundação de Assistência Social (FASPG).

Em Ponta Grossa, há equipamentos sociais especializados no atendimento às situações de violência contra a pessoa idosa, como as duas unidades do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). Nesses casos, quando há denúncias, a equipe do CREAS avalia se determinada situação se configura como violência. Sendo comprovada, o caso é acompanhado pelos profissionais e o procedimento pode variar de orientações para a família até o registro de um Boletim de Ocorrência ou encaminhamento do idoso para uma instituição de longa permanência.

“A grande maioria das denúncias de violação de direitos gira em torno da negligência e abandono, seguidas de exploração financeira. Frequentemente os agressores são familiares das vítimas o que, muitas vezes, dificulta a notificação da violência, por conta da ligação física e emocional do idoso com o parente. Sabendo dessa dificuldade, precisamos conscientizar a família também para que não abuse dos idosos e que os amparem nos momentos de dificuldade”, explica a diretora do Departamento de Proteção Especial da SMPPS, Thais Verillo.

As denúncias podem ser feitas envolvendo qualquer situação em que um idoso for vítima de violência física, psicológica, sexual, abandono, negligência, violência financeira ou econômica, auto-negligência, violência medicamentosa, emocional e social.

Os canais de denúncia são o 100, 156 (on-line) e os próprios CREAS, que podem receber as denúncias por telefone ou mesmo por demanda direta. O contato com o CREAS I é através do telefone 3220-1065 ramal 2076 e o endereço é a rua Judith Silveira, nº 229 – Olarias. Já o CREAS II localiza-se na rua Desembargador Joaquim Ferreira Guimarães, nº 21 – Jardim Carvalho, e o telefone para contato é o 3220 1065 ramal 2075.

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.