Agora1

Prefeitura lança projeto com foco na terceira idade e pessoas com deficiência

9 de setembro de 2020 - 18:13
Divulgação

A iniciativa trará benefícios ao público atendido pela Assistência Social, desde a aproximação e integração das pessoas com deficiência e dos idosos na sociedade, até ampliar a capacidade intelectual e as habilidades dos participantes do programa.

A Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, através da Fundação de Assistência Social (FASPG), lançou nesta quarta-feira (9), a Rádio da Inclusão, no Centro Esportivo para Pessoas com Deficiência. O projeto visa levar entretenimento a pessoa com deficiência e aos idosos, facilitando a comunicação, a divulgação de todos os eventos e acontecimentos que envolvem estes públicos.

“A Rádio da Inclusão é um projeto maravilhoso, era um sonho e corremos atrás para realizar. Hoje, o projeto se tornou realidade na nossa cidade, e temos a certeza que trará muitos benefícios para todos os participantes desta iniciativa. A produção se enquadra à rádio revista, através de informações, entretenimento, músicas e cultura, de modo a cobrir a necessidades de informação e entretenimento que possam também agregar conhecimento aos ouvintes através de assuntos de seu interesse”, destaca o prefeito Marcelo Rangel.

São muitos os benefícios do projeto, entre eles: a melhoria no espaço de convivência, a aproximação e integração das pessoas com deficiência e dos idosos na sociedade, além de ampliar a capacidade intelectual e as habilidades dos participantes do programa.

“Estamos muito felizes em inaugurar o projeto Radio Inclusão, pois ele vem para somar com as atividades do departamento da pessoa com deficiência e com o departamento do idoso. A programação da Rádio vai ser diferente, com muito entretenimento, notícia voltada ao idoso e ao deficiente, sempre em primeira mão”, ressalta a presidente da FASPG e secretária da Secretaria Municipal de Políticas Públicas Sociais (SMPPS), Simone Kaminski.

A Rádio será transmitida de segunda à sexta, com horário ainda a ser definido, via internet, através do serviço de tecnologia streaming com transmissão de som em tempo real. Durante a semana, no período da manhã, os trabalhos ocorrerão no Centro Esportivo para Pessoas com Deficiência e no período da tarde, na Rádio do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), do Jardim Paraíso.

“O projeto é de grande importância, pois dá voz para que essas pessoas possam lutar pelos seus direitos. Muitas vezes o deficiente não tem como expor suas dificuldades, então à rádio inclusão vai trazer essa oportunidade, ter uma voz, informar a população para que elas saibam a importância de ter acessibilidade ao deficiente e a inclusão do idoso também”, comenta o coordenador do projeto, Juliano Rosa.

Para escutar a Rádio Inclusão basta acessar o link que está disponível no site da prefeitura (https://www.radiodainclusao.webradios.net/).

Terceira Idade

Ciente de que o envelhecimento é um processo inerente à vida e de que se trata de uma realidade que envolve mudanças biológicas, psicológicas, econômicas, sociais e culturais, a FASPG atua na promoção da dignidade e do bem-estar dessa parcela da população com 60 anos de idade ou mais que, por algum motivo, teve sua autonomia e seus vínculos de proteção e de cuidado comprometidos pelo tempo.

“O trabalho da Faspg, que se divide em alguns Programas desenvolvidos, tem gerado alto impacto e feito a diferença na vida de inúmeros idosos que precisaram, precisam e ainda precisarão de assistência ao longo de suas vidas”, destaca Simone.

A Rádio da Inclusão promove e preserva a herança cultural na terceira idade, e mobilizará a comunidade para realizar eventos em prol do trabalho assistencial.

Pessoa com deficiência

 De acordo com a Constituição Federal, todos os cidadãos devem ter seu direito de acesso à cultura assegurado. E a Radio da Inclusão proporciona esse direito a pessoa com deficiência.

As informações precisam atingir esse público, para que incorporem em suas atribuições e atividades a noção de acesso à cultura de forma inclusiva e mostrar que este direito pertence a todas as pessoas, sem qualquer tipo de distinção.

“Ao tomarem contato com a trajetória de luta do movimento social das pessoas com deficiência (auditiva, física, intelectual, múltipla e visual), ficará mais solidificada a necessidade de inserir na rádio a conquistas desse segmento, que estão nas leis, decretos e normais nacionais, em todos os documentos das políticas, planos, programas e ações que regem a cultura no país, explica Simone.

 

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.