Agora1

Patrulha Maria da Penha já atendeu mais de mil mulheres vitimas de agressões em PG

13 de agosto de 2020 - 18:48
Imagem divulgação

Número engloba todas as medidas protetivas acompanhadas desde a sua criação em outubro de 2017 até agosto

Mil e setenta mulheres atendidas. Esse é o balanço feito pela Patrulha Maria da Penha da Secretaria Municipal de Cidadania e Segurança Pública (SMCSP) desde sua criação, em 2017, até o mês de agosto de 2020, data em que se completam 14 anos da promulgação da Lei Maria da Penha.

Marco no combate à violência contra a mulher, a Lei Maria da Penha trouxe diversos dispositivos voltados à proteção das vítimas, incluindo nesta rede a Patrulha Maria da Penha (PMP) , órgão que tem reforçado  a segurança de mulheres em situação de violência doméstica e familiar e que possuem medidas protetivas de urgência em vigor.

Atualmente, de acordo com a SMCSP, 396 medidas protetivas estão sendo fiscalizadas pelo departamento que conta com equipes de Guardas Municipais especialmente treinados para o acolhimento das vítimas.

“Estamos muito contentes com o trabalho da Patrulha Maria da Penha, que tem sido essencial no combate à violência contra a mulher em Ponta Grossa. Além das atividades de acompanhamento das medidas protetivas, a Patrulha também tem contribuído para que as vítimas se sintam mais seguras em denunciar a violência no momento que ela ocorre, o que também repercutiu no aumento de atendimentos em situações de flagrante pelas equipes da Guarda Municipal”, aponta o secretário de Cidadania e Segurança Pública, Ary Lovato.

De acordo com a coordenadora da Patrulha Maria da Penha, Liliane Chociai, desde a sua criação, a Patrulha Maria da Penha  já registrou o acompanhamento de 1070 mulheres. Nesse período, foram realizados mais 8.750  atendimentos decorrentes da fiscalização das medidas.  “Temos desenvolvido um trabalho intenso no acompanhamento das medidas protetivas e entendemos que essa ação constante repercute diretamente na vida dessas mulheres. Nós  temos o dever de fazer com que a mulher tenha seu direito assegurado, prestar atendimento e contribuir na luta para que ela possa superar esse fato dolorido da vida”, declara Liliane.

Violência Contra a Mulher

Segundo dados do 13° Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o crescimento de casos de violência contra a mulher investigado em 2018, em comparação com 2017, foi de 14,1%. Além disso, o estado do Paraná registra, em média, um caso de violência contra a mulher a cada 24 minutos.

Em Ponta Grossa, as situações violência doméstica figuram entre as três mais atendidas pela Guarda Municipal.  No mês de janeiro até o mês de julho, a Guarda Municipal atendeu 146 denúncias de violência doméstica na cidade. Em 2019, o número chegou a 363 ocorrências.

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.