Agora1

Saúde realizará coleta para diagnóstico do coronavírus nas UBS de Ponta Grossa

12 de Maio de 2020 - 08:02
Por Rafisa Ramos

Os testes rápidos serão feitos em pessoas que apresentarem sintomas da doença e estiverem em monitoramento pela equipe de Epidemiologia e Atenção Primária; já os PCRs continuarão sendo realizados na UPA

A partir desta segunda-feira (11), a Fundação Municipal de Saúde (FMS) passou a realizar coleta de sangue para a realização de testes rápidos que averiguam a possibilidade de contaminação de coronavírus na população. As coletas serão feitas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), em pessoas que apresentarem os sintomas da Covid-19 e estiverem em monitoramento. O exame pode ser feito em pessoas de 15 a 59 anos, idosos acima de 60 anos, doentes crônicos e em quem teve contato domiciliar com profissionais da saúde e de segurança pública que já apresentaram sintomas da doença.

De acordo com a FMS, os testes serão realizados em pessoas que estiverem em monitoramento por pelo menos sete dias. No oitavo dia, os profissionais de saúde da FMS entrarão em contato com essa população informando-a sobre a possibilidade de realizarem o exame de forma rápida e simples. É necessário, porém, que para a realização do exame, o paciente esteja com pelo menos 72 horas sem os sintomas da Covid-19. Após a coleta de sangue na UBS, o exame será encaminhado para o Laboratório Municipal Alfredo Berger, para a análise do diagnóstico.

No momento 1580 testes estão disponíveis na cidade. A estimativa da FMS é de que ao longo da semana cheguem mais 5 mil para a realização da testagem nas pessoas que possuírem sintomas da Covid-19.

“É importante ressaltar que os exames não serão realizados por livre demanda, ou seja, não basta somente chegar no estabelecimento de saúde e solicitar o teste. O paciente precisa estar em monitoramento e ter apresentado sintomas nos últimos sete dias. Essas são nossas prioridades no momento, poder testar de maneira eficaz a população para podermos ter cada vez mais um cenário favorável e controlado na cidade ”, ressalta o secretário adjunto de Saúde, Rodrigo Manjabosco.

Os testes rápidos chegaram em Ponta Grossa no dia 17 de abril. No entanto, por uma recomendação da 3ª Regional de Saúde, a FMS precisou armazenar as testagens já que o Laboratório Central do Estado (Lacen) disponibilizou a realização de testes PCR para o público até então previsto para os testes rápidos. O PCR é considerado o melhor padrão de exame no diagnóstico da Covid-19 e é o mesmo enviado para o Lacen. Na última semana, a Secretaria de Saúde do Paraná autorizou a utilização dos testes rápidos na população.

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Caroliny Stocco, destaca a importância de mais uma possibilidade da detecção do coronavírus na cidade, mas enfatiza que os testes rápidos não possuem resultados tão eficazes quanto os PCRs.

“Os dois tipos de testes disponíveis possuem metodologias diferentes e o resultado obtido com a testagem rápida possui 86% de sensibilidade, ou seja, pode conter erros. De qualquer forma, é mais um método que servirá para avaliarmos a situação do município e possibilitar que as pessoas saibam que contraíram a doença”, alega Caroliny.

Até o fechamento desta reportagem, dez testes rápidos foram aplicados em pessoas que se enquadraram nos requisitos necessários para a coleta do material. Conforme a FMS, os resultados dos testes disponibilizados passarão a ser contabilizados no boletim diário divulgado pelo órgão no site da Prefeitura e nas redes sociais.

Diferenças entre o teste rápido e o PCR

Conforme a coordenadora de Vigilância em Saúde, Priscila Alves, as principais diferenças para averiguar se um caso será avaliado via teste rápido ou por meio do PCR são relacionados ao perfil do paciente e a gravidade de seu caso clínico. Como já mencionado, os testes rápidos serão aplicados em pessoas que estejam em monitoramento pela FMS e, portanto, em isolamento domiciliar.

Já os PCRs são feitos em pessoas hospitalizadas, que possuírem quadros de síndrome respiratória grave; profissionais da saúde e de segurança pública que apresentarem os sintomas; e quem tiver tido contatos domiciliares com casos confirmados. Além da realização do PCR, a Unidade de Pronto Atendimento também coleta cinco amostras semanais na unidade sentinela como uma forma alternativa de analisar o vírus.

A FMS indica ainda que as pessoas, que apresentarem sintomas, liguem na central telefônica ou procurem uma UBS e apresentem suas queixas, a fim de ser feita uma avaliação pela equipe técnica multiprofissional para averiguar os passos seguintes a serem tomados. Em se tratando de sintomas iniciais, o paciente ficará em monitoramento e diariamente receberá telefonemas da equipe da Saúde, que avaliará o quadro do paciente. Estes são os canais iniciais para que as dúvidas e os procedimentos necessários sejam realizados. O telefone de contato da central telefônica do coronavírus é 3220-1019.

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.