Agora1

Obesidade é responsável por reduzir testosterona em 50% dos homens

31 de outubro de 2019 - 17:51
Pesquisa foi realizada com mais de 700 pacientes de Ponta Grossa sob a supervisão do urologista Bernardo Sobreiro (Créditos: Divulgação)

No mês da campanha Novembro Azul, de cuidados com a saúde do homem, uma pesquisa realizada em Ponta Grossa revelou que a obesidade foi responsável por reduzir os níveis de testosterona em 50% dos pacientes entrevistados

Uma pesquisa realizada por acadêmicos do curso de Medicina da Universidade Positivo, de Curitiba, revelou que a obesidade é responsável por baixar os níveis de testosterona em 50% dos homens. O estudo aconteceu em Ponta Grossa, de janeiro de 2016 a dezembro de 2018, com pouco mais de 700 entrevistados, entre 16 e 88 anos, atendidos na clínica Union, de Urologia e Andrologia, sob a supervisão do médico urologista Bernardo Sobreiro, professor de Urologia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e Universidade Positivo.

Entre as suas principais funções, a testosterona é o hormônio responsável por determinar as características físicas e comportamentais dos homens, como o fortalecimento dos ossos, a mudança da voz na puberdade, crescimento dos pelos pelo corpo e o desejo sexual. A sua redução ocasiona aumento do cansaço, baixa libido, disfunção erétil, perda da massa muscular, entre outros sintomas que afetam diretamente a saúde do homem.

O objetivo da pesquisa foi analisar a influência do envelhecimento e da obesidade sobre os níveis de testosterona para, dessa maneira, contribuir com o conhecimento sobre os fatores relacionados à qualidade de vida dos homens.

“Neste estudo, nós dosamos a testosterona total dos pacientes entrevistados, o LH (Luteinizing Hormone), aquele hormônio que faz os testículos funcionarem e que com o tempo perde a função, e ainda o SHBG (Globulina Ligadora de Hormônios Sexuais), que é aquela proteína que sequestra a testosterona”, explica o especialista.

Com o passar da idade, segundo Sobreiro, é normal que o SHBG aumente, fazendo com que ocorra uma redução dos índices de testosterona. “Se compararmos indivíduos de 40 anos com indivíduos acima dos 70 anos encontramos uma redução de mais de 50% de testosterona livre. Isso é normal e não tem como escapar disso”, comenta.

Obesidade x Testosterona

No entanto, a pesquisa revelou uma alta taxa de sobrepeso e obesidade na amostra realizada com os pacientes em Ponta Grossa: 28,9% dos homens entrevistados estão acima do peso enquanto que 36,8% são considerados obesos.

“Esse dado revela o impacto negativo do sobrepeso e obesidade sobre os níveis de testosterona. Indivíduos com o Índice de Massa Corporal normal têm uma taxa de deficiência de testosterona de 20%. Nos homens com sobrepeso o valor encontrado foi de 28,9% e, entre os obesos, 48,3% têm essa deficiência”, explicou o urologista.

Preocupante

Dados apontados no estudo também revelaram que dos mais de 700 homens entrevistados, 34,5% são hipertensos; 16,7% diabéticos; 16,7% são fumantes diários; 9% ingerem bebidas alcoólicas todos os dias; 25% praticam atividades físicas e 48,5% apresentaram disfunção erétil.

“As pessoas precisam deixar de ser obesas e adotar uma rotina saudável. Vemos que os níveis baixos de testosterona não afetam apenas homens mais velhos, mas sim os jovens que estão acima do peso. Eles serão prejudicados tanto no seu desenvolvimento físico, quanto no seu desenvolvimento intelectual e sexual. Por isso, a importância de hábitos de vida saudáveis, como alimentação e a prática de atividades físicas que ajudarão a aumentar a testosterona de forma natural, sem precisar fazer uso de medicamentos”, orienta o especialista.

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.