Agora1

Veja como prevenir doenças que aumentam sua incidência com o frio;

5 de junho de 2019 - 16:46
Divulgação

Especialistas explicam que clima altera sistema respiratório, que fica mais vulnerável a doenças; reforçar o sistema imunológico e vacinas podem ajudar.

O frio favorece a transmissão de doenças, principalmente respiratórias, segundo o infectologista Paulo Olzon, chefe da disciplina de clínica médica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Ele explica que a transmissão de doenças nessa época se dá por três fatores: a proximidade das pessoas e a permanência em locais fechados, pelo maior acúmulo de muco nasal, que facilita a transmissão de vírus, seja pelo ar ou até por um aperto de mão, e pela mudança que o aparelho respiratório sofre por conta do frio, deixando o organismo mais vulnerável a doenças.

1. Lavar bem as mãos

É comum as pessoas acreditarem que as infecções da respiração acontecem pelo ar, mas esquecem de que uma das principais formas de contaminação é através das mãos, ao tocar em algo que contenha micro-organismos e, em seguida, levar à boca, nariz ou olhos.

Assim, para evitar uma infecção respiratória, recomenda-se lavar bem as mãos, ou pelo menos usar o álcool gel, especialmente quando se frequenta locais públicos, ou ao tocar maçanetas, telefones, corrimãos ou ao usar transportes públicos, por exemplo.

2. Evitar aglomerações e locais fechados

Frequentar ambientes com muitas pessoas, especialmente se for um local sem muita circulação de ar, torna mais fácil contrair infecções respiratórias, pois são locais propícios à proliferação de micro-organismos, como vírus, bactérias e fungos.

Desta forma, é comum adquirir estes tipos de infecções em locais como escolas, creches, asilos, shoppings, festas ou no trabalho, pois costumam conter maior número de pessoas em locais fechados. Por isso, para evitar as infecções das vias aéreas, recomenda-se manter o ambiente arejado, ventilado e iluminado, de forma a reduzir o acúmulo de micro-organismos.

3. Não fumar

O tabagismo facilita o desenvolvimento de infecções da respiração, assim como dificulta a recuperação, pois causa inflamação das vias aéreas, irritação da mucosa e também a diminuição dos seus mecanismos de proteção.

Além disso, quem convive com quem fuma não está livre dos seus males, pois o tabagismo passivo também causa estes efeitos nas vias respiratórias. Portanto, é recomendado não só parar de fumar, mas também não ficar perto de quem está fumando.

4. Manter a rinite alérgica sob controle

Rinite é a inflamação da mucosa das vias aéreas, especialmente nariz, e sua presença facilita o desenvolvimento de infecções respiratórias, pois diminui a eficácia das defesas da região.

Desta forma, é importante evitar os fatores que desencadeiam a rinite, como poeira, ácaros, mofo, pólen ou pêlos de animais domésticos, por exemplo, assim como tratar corretamente esta inflamação caso esteja presente, como forma de evitar que se torne um resfriado ou uma sinusite, por exemplo. Confira as causas e como tratar a rinite alérgica.

5. Tomar a vacina da gripe

A vacina da gripe pode proteger contra vírus do tipo Influenza, que provocam gripe e podem causar pneumonia, como é o caso de H1N1.

Deve-se lembrar que a vacina protege apenas dos vírus programados na fórmula da vacina, que são, geralmente, os mais infectantes e perigosos daquele período. Assim, ela não protege de outros vírus e, por isso, algumas pessoas podem ficar resfriadas mesmo que tenham tomado a vacina.

6. Manter-se hidratado

Manter o organismo hidratado e com uma alimentação balanceada e equilibrada evita quedas da imunidade que podem facilitar uma infecção.

Desta forma, recomenda-se tomar cerca de 2 litros de líquidos por dia, incluindo água, sucos, água de coco e chás, e também adotar uma dieta rica em vegetais, pois contém vitaminas e sais minerais, que ajudam a proteger o organismo.

7. Descansar

Dormir pelo menos 6 horas, e de preferência entre 7 a 8 horas por noite, é o recomendado para que o organismo consiga equilibrar seu metabolismo e recuperar as energias e o sistema imune.

Assim, quem dorme muito pouco fica mais susceptível a adquirir infecções, além de que o organismo tende a render muito menos para qualquer atividade.

8. Manter a umidade no ar

O ar muito seco facilita a proliferação de organismos e o ressecamento das mucosas respiratórias, por isso, recomenda-se evitar o uso excessivo de ar condicionado e manter o ambiente mais ventilado.

Uma dica é o uso moderado do umidificador de ar, nos dias mais secos, de forma a equilibrar a umidade. Confira também formas caseiras de umidificar o ar.

9. Usar antibióticos somente com recomendação médica

Usar antibióticos sem a devida orientação do médico traz muito malefícios. Deve-se ter em mente que a maioria das infecções é causada por vírus, e usar antibiótico não trará nenhuma vantagem e, pelo contrário, irá expor o organismo a seus efeitos colaterais que podem ser perigosos

Além disso, o uso indevido de antibióticos faz com que a flora bacteriana do organismo fique desequilibrada, facilitando o surgimento de uma infecção bacteriana preocupante.

10. Usar vitamina C protege de infecções?

Não há comprovações científicas de que somente o uso da vitamina C possa proteger contra uma infecção específica. No entanto, o consumo de vitaminas e sais minerais, como a própria vitamina C, a vitamina A, vitamina E, ômega-3, flavonóides, carotenóides e selênio, por exemplo, são benéficos para o sistema imune, pois são antioxidantes.

Os antioxidantes evitam o acúmulo de radicais livres no organismo, o que é útil na prevenção de doenças e do envelhecimento precoce. A vitamina C e os demais antioxidantes podem ser consumidos na forma de suplementos, no entanto, eles são facilmente encontrados na alimentação, especialmente nos vegetais. Confira quais são os alimentos ricos em antioxidantes.

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.