Agora1

Corpo de professor é achado carbonizado em São João do Triunfo; polícia apura homofobia

3 de maio de 2021 - 17:19
Informações e imagens APP Sindicato

O corpo de um ativista LGBT que atuava no Movimento dos Trabalhadores Sem Terra e no Partido dos Trabalhadores foi encontrado carbonizado no município de São João do Triunfo, na região dos Campos Gerais, (PR), no sábado (1).

Lindolfo Kosmaski, de 25 anos, levou dois tiros e teve o corpo carbonizado dentro do próprio carro. O veículo foi encontrado perto da rodovia PR-151, na localidade de Coxilhão.

O ativista era professor da rede estadual e cursava mestrado na Universidade Federal do Paraná, no programa Educação em Ciências e em Matemática. Ele também foi candidato a vereador do município em 2020.

Em nota a APP Sindicato pediu justiça pela morte do professor

Nota de repúdio e de solidaridade à família do professor Lindolfo Kosmaski. Investigações iniciais indicam que homofobia foi o motivo do crime. Justiça para Lindolfo!

O sorriso sempre largo no rosto e incansável vontade de mudar o mundo através da educação e do conhecimento foram brutalmente interrompidos pelo ódio. É com dor, com pesar e com revolta que a APP-Sindicato comunica que o professor  Lindolfo Kosmaski, ativista LGBT e que atuava junto ao Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), foi encontrado carbonizado na noite do último sábado (1), no município de São João do Triunfo, no Paraná. O movimento acredita que o homicídio tenha sido motivado por homofobia.

Atualmente, o militante era professor da rede estadual do Paraná e estava cursando o mestrado na Universidade Federal do Paraná (UFPR), no programa Educação em Ciências e em Matemática.

A direção estadual e regional da APP-Sindicato manifesta publicamente sua  e carinho solidariedade à família, colegas de trabalho e amigos(as) do professor Lindolfo. O Sindicato acompanhará as investigações junto aos órgãos competentes para que os criminosos sejam encontrados e punidos.

“Lindolfo era, além de um excelente professor, um amigo de luta e de militância. Buscamos também o Conselho Permanente de Direitos Humanos, o Coped, para acompanhar o caso. Vamos realizar um mutirão virtual e no sábado uma ação aqui no município e não pouparemos esforços para garantir a justiça no caso”, diz o secretário da Mulher Trabalhadora e dos Direitos LGBTI, professor Clau Lopes.

Leia abaixo o relato publicado pelo presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Silva Leão:

Juntamente com dirigentes da APP-Irati, e do sindicato dos trabalhadores rurais de São João do Triunfo passamos a tarde com a família do nosso querido Lindolfo Kosmaski. O sofrimento é inenarrável. O corpo será liberado no IML de União da Vitória nesta noite e o sepultamento deve ocorrer na manhã desta segunda na Comunidade Palmeiras, interior do município.

Nosso jovem professor PSS foi amarrado e seu carro (recém adquirido depois de muita luta) foi incendiado sem qualquer chance de defesa. Nossas lideranças locais preparam um ato a ser realizado no próximo sábado no local do crime. Estaremos acompanhando os trabalhos de investigação para que o(os) responsáveis por essa barbárie sejam devidamente punidos.

Muito obrigado pelas centenas de mensagens, tive a oportunidade de mostrar aos familiares o quanto seu filho era amado. Eu, Clau Lopes e Eder agradecemos de coração aos corações amorosos que compartilharam essa dor. Obrigado Companheiras Salete Tonon Presidenta APP-União da Vitória e Thays Bierbach Vereadora de União da Vitória, ajuda imprescindível. A cena do crime é de filme de horror!

LINDOLFO, PRESENTE, PRESENTE, PRESENTE!
Professor Hermes Silva Leão – Presidente da APP-SINDICATO

 

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.