Agora1

Alunos de Escola Municipal lançam livro de receitas

25 de novembro de 2019 - 15:47
Divulgação

Após projeto sobre educação alimentar, crianças da Educação Infantil ‘assinaram’ livro com receitas saudáveis

Presentes no currículo da Educação Infantil em Ponta Grossa, os hábitos saudáveis de alimentação são estudados e praticados pelas crianças, desde o início de suas vidas escolares. Por meio de experiências sensoriais com os alunos, a Escola Municipal Deputado Djalma de Almeida César desenvolveu atividades que envolveram até o lançamento de um livro de receitas, feito junto com os alunos do Infantil III. O lançamento da obra foi realizado neste fim de semana, na própria escola.

O “Meu primeiro livrinho de receitas”, assinado pelos alunos das professoras Tatiane Sartori e Adriane de Lourdes, traz ideias criativas para incentivar hábitos saudáveis de alimentação, utilizando especialmente frutas, verduras e legumes, como os brigadeiros de banana e beterraba. O trabalho faz parte do projeto “Alimentação de aprendizagem sensorial e emocional”, que levou as crianças para conhecer o cultivo, colheita, industrialização e venda dos alimentos. Elas também fizeram as receitas junto com alunos do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP), que foram incluídas no livro.

O lançamento do trabalho foi realizado na própria escola, na tarde do último sábado, com a presença de familiares dos alunos e da comunidade escolar, que ajudou a realizar o projeto. As crianças desenharam o nome e também marcaram com a digital sua participação no livreto, que contém receitas saudáveis próprias para os pequenos. No projeto, sentir os cheiros, pegar na terra e sentir os sabores de vários alimentos fez parte das atividades sensoriais. “O objetivo foi conscientizar para a alimentação saudável, explorando os cinco sentidos. Os autores das receitas são os próprios alunos”, conta a professora Tatiane Sartori.

Anderson Martins, pai da aluna Helena, conta que o trabalho levou melhorias para os hábitos da filha, que agora come melhor e menos produtos artificiais, como refrigerantes. “Particularmente eu não lembro se a gente viveu isso na nossa infância. Então, viver isso com eles é espetacular, não tem coisa mais bacana”. A mãe, Milene Martins, também notou diferenças importantes nos hábitos da filha. “Agora ela come mais frutas, sabe distinguir as frutas dos legumes, sabe o que é bom e ruim. De manhã, levanta e pede uma banana antes de vir para a escola, antes ela pedia mamadeira. Já não come mais salgadinhos e bebe bastante água”, conta ela.

A coordenadora da Educação Infantil, Nilcéia Mottin, aponta que a alimentação é parte do currículo do Município. “Através da nossa nova diretriz curricular, estamos enfatizando os campos de experiência. Um deles trata dos aromas, dos sabores, das cores das texturas dos alimentos. Esse é o currículo vivo sendo colocado em prática nos CMEIs”, afirma. A professora Adriane de Lourdes conta que o aprendizado ocorreu na prática e na teoria. “Acredito que as crianças desenvolveram muito a alimentação, experimentaram muitas coisas. Foi satisfatório porque vimos os resultados, nas atividades e na alimentação, porque eles começaram a comer melhor depois do nosso projeto”, conta Adriane.

Parcerias

O projeto foi possível graças a importantes parcerias da comunidade. Ana Paula Ferraro Cornélio, coordenadora do curso técnico em Nutrição do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP), aponta que desenvolver o hábito de uma alimentação saudável com as crianças irá levá-las a ter hábitos saudáveis. “Diante dessa alimentação que vivemos hoje, onde é tudo prático e precisa estar pronto na prateleira, a gente devolver um pouco do que é natural, de uma forma colorida e divertida, é bem prazeroso. Para as crianças e para nós, que somos profissionais da saúde e da educação”, afirma.

Luciane Padilha, responsável técnica da Indústria Mamãe Mandou, parceira do projeto, afirma que participar do processo foi muito prazeroso. “Hoje busca-se uma alimentação e vida mais saudáveis. Então começar desde pequenos, mostrando a importância de escolher o alimento, identificando o que é bom e o que não é, é muito gratificante”. As crianças visitaram a produção, industrialização e venda dos alimentos na empresa.

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.