Agora1

Mais de 9,5 mil doses de vacinas contra a Covid serão distribuídas no Paraná nesta sexta

29 de abril de 2021 - 19:29
Foto: Ari Dias/AEN

São 303.000 doses da Covishield, da Universidade de Oxford/Astrazeneca/Fiocruz, e 6.200 doses da Coronavac. Doses serão distribuídas às 22 Regionais do Paraná a partir das 8h desta sexta-feira (29).

A imunização de pessoas a partir de 60 anos prossegue no Paraná com 309,2 mil novas doses de vacinas contra o coronavírus enviadas pelo Ministério da Saúde ao Paraná na manhã desta quinta-feira (29). O 15º lote é composto por 303.000 doses da Covishield, da Universidade de Oxford/Astrazeneca/Fiocruz, e 6.200 doses da Coronavac, fabricada pelo Instituto Butantan/Sinovac.

As doses chegaram ao Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba, por volta das 10 horas e foram encaminhadas ao Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar). Dali, os imunizantes serão distribuídos a partir das 8 horas desta sexta-feira (29) às 22 Regionais de Saúde do Estado por via terrestre (Regionais de Paranaguá, Metropolitana, Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão, Londrina, Telêmaco Borba e Ivaiporã) e aérea (Regionais de Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Cornélio Procópio, Jacarezinho e Toledo.

Os quantitativos de doses por regional serão divulgados em breve.

Toda a remessa recebida é destinada às primeiras doses de grupos prioritários cuja imunização já está em andamento. As doses da Coronavac são todas indicadas a pessoas de 60 a 64 anos. São 5.581 doses para o grupo, o equivalente a 1% do total de pessoas da faixa etária. As demais recebidas são destinadas à reserva técnica.

As vacinas da Covishield, por sua vez, são destinadas a dois grupos prioritários: além de 48% do total de idosos entre 60 e 64 anos, abarcados por 270.380 doses, mais 2.277 doses são indicadas a 6% do total de trabalhadores das forças de segurança, salvamento e Forças Armadas. As doses restantes também são armazenadas como reserva técnica.

“Mesmo com indicadores melhores, nossos hospitais continuam cheios e os cuidados contra o coronavírus têm que ser mantidos”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. “A orientação que temos dado a todos os municípios é que sigam muito claramente o que está preconizado no Plano Nacional de Imunização, e que evitem usar a segunda dose como primeira para que não falte para quem precisa tomar o reforço”.

PFIZER – Além da Coronavac e Covishield, as vacinas fabricadas pela farmacêutica norte-americana Pfizer devem integrar o esquema de vacinação do Paraná a partir da próxima semana.

Um primeiro lote de um milhão de doses do imunizante está previsto para chegar ao Brasil nesta sexta-feira (30). O acordo de compra da fabricante com o governo federal prevê a entrega de um total de 100 milhões de vacinas ao País.

“Nesta primeira carga, possivelmente a orientação do Ministério da Saúde será de concentrar as vacinas nas capitais. O Ministério vai descentralizar metade das doses deste primeiro lote para guardá-las para a segunda dose. Nosso cálculo é receber de 4% a 5% do quantitativo distribuído. Se esse quantitativo for de 500 mil doses, devemos receber de 20 a 25 mil doses da Pfizer destinadas para uso em Curitiba”, explicou o secretário.

A vacina da Pfizer também requer duas doses para garantir a imunização completa, que devem ser aplicadas em um intervalo de 21 dias. Ao contrário das vacinas do Instituto Butantan e Fiocruz, este imunizante demanda um armazenamento a -70°C, o que faz necessário freezers específicos.

O Estado tem disponíveis sete freezers com essa capacidade, que podem armazenar as vacinas por até seis meses, e prevê a entrega de outros seis equipamentos por parte do Ministério da Saúde. Também já estão disponíveis outros dois congeladores com capacidade de -20°C, onde as doses podem ser armazenadas por até duas semanas.

60 ANOS – Segundo levantamento da secretaria estadual da Saúde, 63 municípios do Paraná já haviam começado a vacinar pessoas com 60 anos até esta quarta-feira (28), o que representa 15,7% do Estado.

Beto Preto reforça que a velocidade de vacinação depende da quantidade de doses disponibilizadas ao Estado, e que dentro de alguns dias todos os 399 municípios paranaenses estarão dentro desta faixa etária. Ele comentou que, após os idosos, o novo foco será vacinar as pessoas com comorbidades.

“O que temos como certo é que as comorbidades vão continuar seguindo as faixas etárias”, disse. “Na primeira etapa, focaremos em pessoas com 59 anos, depois passar às de 58, e assim por diante. A vacinação deve continuar seguindo essa linha etária, mas agora com as comorbidades como prioridade”.

Até a tarde desta quinta-feira (29), o Paraná aplicou um total de 2.696.865 de vacinas, sendo 1.726.540 primeiras doses e 970.325 segundas doses. As primeiras doses representam 37,25% do total de pessoas incluídas nos grupos prioritários e 16,53% de toda a população do Estado. Com relação à dose de reforço, o número representa 34,66% dos grupos prioritários e 9,29% da população total.

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.