Agora1

Giba diz que não pode pagar R$ 12 mil de pensão

6 de Março de 2018 - 15:27
Giba com os filhos/ Imagem reprodução facebook

Na manhã desta terça-feira (06), o ex-jogador de vôlei Giba, acompanhado do advogado José Rodrigo Sade, convocou uma coletiva de imprensa para falar sobre dois empréstimos nos valores de R$ 41 mil e R$ 49 mil, para pagar os R$ 90 mil, no dia 2 de março, em pensão alimentícia.

“Não foi deixado de pagar nenhum mês, paguei o quanto podia e que todos os comprovantes bancários estão guardados”, frisou o ex-atleta.

“A vida não está fácil pra ninguém. Estou muito triste mesmo e críticas vão existir. Estou sempre aberto para isso, mas denegrir a minha imagem eu não admito”, disse Giba.

O ex-atleta oferece, mensalmente, R$ 6 mil para os dois filhos, mas segundo o advogado de Giba, a ex-mulher dele, Cristina Pîrv, exige R$ 12,7 mil.

Em fevereiro deste ano o assunto já estava nas redes sociais e Giba publicou uma nota oficial falando do assunto, veja:

Sobre as recentes notícias envolvendo meu nome, tenho alguns esclarecimentos: – O mandado de prisão sequer chegou a ser expedido, tendo o Tribunal em poucas horas derrubado a decisão, em um reconhecimento inequívoco de que jamais houve qualquer razão para a prisão.

– Pago de pensão , mensalmente, um valor mais do que justo e suficiente para que meus filhos, Nicoll e Patrick, tenham uma qualidade de vida acima da média.

– Ofereci pagar, via bolsa de estudos, além do valor que pago, as mensalidades dos meus filhos em uma das melhores escolas de Curitiba, que fica inclusive perto da casa deles, mas esta proposta foi negada por ela.

– A mãe dos meus filhos pede, em processo na justiça, um valor de pensão baseado em valores que eu não ganho mais há bastante tempo.

Em nossa separação, deixei diversos imóveis para ela, no Brasil e na Romênia, além da guarda das crianças, e de ter que me desfazer de alguns bens meus para quitar dívidas deixadas por ela enquanto fomos casados.

– No ano passado, mudei do Rio de Janeiro para Curitiba afim de ficar mais perto dos meus filhos e pedi a guarda compartilhada, e a justiça está prestes a conceder, com base em lei, sendo esta mais uma razão da minha ex-mulher insistir em valores absurdos.

– Patrick e Nicoll podem comprovar que faço o possível e o impossível pela felicidade deles – única e exclusivamente deles. Haja vista a alegria de ambos quando estão comigo. É para eles, e somente para eles, que pago mensalmente a pensão.

A minha parte como pai estou fazendo. Deito minha cabeça tranquilamente no travesseiro com a sensação de que nao deixo faltar nada aos meus filhos.

Redação Agora1
Equipe de redação do Portal Agora1. Gostaria de nos informar algo? Entre em contato! Clique aqui e nos envie um e-mail agora mesmo.